sábado, 9 de fevereiro de 2013

Abre as asas sobre nós

Creio eu que deveria dizer que detesto carnaval, que tenho horror declarado à música ruim, ao calor, ao suor, às aglomerações; que o carnaval é uma festa fútil, infantilizada. Mas a verdade é que eu adoro o carnaval. Porque o carnaval mesmo, o espírito do carnaval, o "carnavalgeist" é maior que o axé music, que os abadás, que as praias lotadas. O carnaval é a materialização de uma liberdade impensada em dias comuns.
Para mim, não há nada mais animador que saber que, se estiver a fim, posso acordar e ir vestida de Cleópatra à padaria, e ninguém vai nem ligar. As pessoas exercitam a liberdade sem medo, e ocupam as ruas, as praças, sabendo que se quiserem podem ir fantasiadas, e se quiserem podem também não ir. O carnaval subverte, o carnaval liberta. Se homem quer vestir-se de mulher, ou vice-versa, se criança quer sair de adulto, se adulto quer andar como criança, a ninguém importa e diz respeito. Cada um com sua consciência e suas vontades. Isso para mim é revolucionário, é inovador.
O carnaval é tão livre, mas tão livre, que até às pessoas que não gostam dele, liberta. Elas podem orgulhosas dizer que não suportam a balbúrdia e partir para locais tranquilos, de lareira, friozinho e jazz. Enquanto isso os partidários do carnaval também não se importam: partem para as noites bárbaras e acesas, talvez agradecendo no íntimo a quem vai embora e deixa mais espaço na rua.
Carnaval para mim não é escola de samba, não é bloco, nem desfile: carnaval é um tempinho do ano (talvez pequeno demais, talvez por isso mais intenso) em que cada um exerce sua felicidade da forma que lhe convém. Nada mais é preciso dizer.

4 comentários:

Isadora disse...

É com uma alegria muito grande que venho comentar aqui. Acredito, aliás, que não é só minha, mas de todos os leitores do seu blog. Sua postagem me fez lembrar a música do Chico,"Ela desatinou". Dias de festa que promevem a alegria, a inversão dos gêneros e em partes, a liberdade.
Deixo aqui também as lembranças que tenho ao seu lado na época de folia. Sinto saudades.

Um grande beijo!

Prof. Alexandre Fonseca disse...

Poxa, até que enfim alguém me deu um motivo p'ra gostar de Carnaval. Agora, mais aliviado e feliz (e livre), posso deixar as ruas com mais espaço aos que partem para as noites bárbaras e acesas... rsrsrs

Edison Junior disse...

Disseste-o bem, minha cara!

Também não curto muito o carnaval em si, mas adoro esses dias de descanso. Adoro a liberdade de poder ouvir ou não as músicas de carnaval. Aliás, sempre gosto de poder ouvir o que eu quiser. Ou nada. Se eu quiser.

Dificilmente assisto aos desfiles. Acho abominável que tenha que haver uma competição entre as escolas. Mas deve haver uma explicação para o fato de eu achar muito mais divertido acompanhar a apuração do que os desfiles.

De resto, o carnaval é bem isso mesmo, cada um na sua. Por isso, não entendo porque algumas pessoas ficam furibundas contra quem gosta de pular carnaval ou contra a festa em si. Basta não curtir, mudar de canal, desligar a p... do aparelho ou ler um livro.

Bjs. e bom restinho de carnaval pra você!

Thiago Quintella de Mattos disse...

Carnaval é bonzão por tudo isso que descreveu muito bem e pelo samba, que gosto muito! heheh!