terça-feira, 11 de novembro de 2008

Pneumotórax, falência múltipla dos órgãos

— O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
— Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
— Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.
Manuel Bandeira

Não, não estou pensando em fazer vestibular para Medicina. É apenas mais um devaneio inofensivo.

Eu sempre quis morrer de velhice. Com uns 90, 100 anos, cabelo branquinho e dormindo. Acontece que hoje ninguém mais morre de velhice. É falência múltipla dos órgãos. Acho que os médicos devem achar um insulto dizer "morreu de velhice", afinal velhice não é doença. Mas com este nome tão bonito eles destruíram não só o meu projeto, como o de muita gente, aposto!

Semana passada (acho que foi) deu no jornal sobre a menina encontrada morta na mala em Curitiba. E logo depois de dizerem que ela foi espancada e violentada disseram: ela tinha ganhado um concurso de redação na semana anterior. Não me chamem de apelativa sensacionalista, mas fiquei triste de verdade. Porque fiquei imaginando aquela menina toda orgulhosa, exatamente como eu me sentia na mesma semana que ela, pelo mesmo motivo. Imaginei a mãe dela dizendo "boa noite, escritorinha" e ela com grandes sonhos de um dia realmente virar escritora e viver daquilo.

Ok, chega.

O que me veio à cabeça é que é tudo tão estranho. Eu imagino um poeta na rua sendo assaltado. Imagino: Grande Poeta é Atingido na Testa por Bala Perdida. Ou eles são realmente raridades ou são incrivelmente sortudos, afinal todo mundo só consegue imaginar escritores morrendo de amor ou de tuberculose. Temo pela vida dos imortais. E a sua e a minha também. Desculpem pelo que eu fiz vocês lerem desta vez: um texto mórbido para um assunto mórbido. Toquem um tango argentino para ele.

6 comentários:

Marcelo disse...

Laila,

Se você me dissesse que iria prestar vestibular para medicina eu iria pensar: que pena! Seu lugar é em Letras ou Jornalismo... não fuja a sua sina. rs

Pois é. Os imortais também morrem ou quando não morrem, mesmo em estátuas, tê seus óculos roubados...
(vide estátua do Drummond)

Marcus "OROCHI" disse...

Bandeira, Bandeira, esse cara é demais (tirando o fato que apresentar um seminário sobre ele no final do mês, mas isso é outra história...).
No mais, é triste o fato da menina mesmo. O mundo pode ter perdido um grande talento de forma brutal. Tanta gente indo, tanta gente ficando...

Isabela disse...

td bem, colega!
tdos nós temos nosso momento de 'morbidês aguda'.
Mas mesmo assim esta cada vez melhor sentar no banquinho para ler seus devaneios!
;)

Marcio Sarge disse...

Houve um tempo que queria morre de tanto beber, jovem mesmo. Mas tarde só queria morrer jovem sem nenhuma causa específica.
Houve um tempo que só me permitiria morrer depois que escrevesse um livro de crônicas.
Agora me cansei de planejar a morte e to me preocupando em planejar a vida.
Mas ainda gosto de wisky.

P.S.: Comentário mais besta o meu. :)

valacomum disse...

Lamentavelmente os imortais morrem e acho que junto com eles morre também um pouquinho de nós. Quanto à falência múltipla dos órgãos, concordo com você: Não nos retirem o direito de morrer de velhice. Quero ter o orgulho de dizer que minha única patologia é o tempo.

Antônia Burke disse...

Por mais sensacionalista que pareça, pensamentos como o seu são inevitáveis, ainda mais com um caso desses, que dá vontade de chorar, de raiva e de tristeza.
Nunca vamos poder dizer isso com certeza, mas a impressão que dá é que os melhores realmente vão mais cedo...
Beijos!