segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Visão realista do tempo

Porque o tempo é uma invenção da morte
Mário Quintana
Eu sempre tive medo de certos programas, poemas, livros, pensadores, pessoas e professores (e recentemente da Sorte do dia no Orkut) que ficam incessantemente dizendo: Aproveite a vida, viva como se fosse o último dia. Porque isto é completamente impossível. Se hoje fosse o último dia da minha vida, não teria estudado para o vestibular de manhã, trabalhado à tarde e postado no Banquinho agora à noite. Simplesmente porque isso tudo foi investimento no futuro.

Está na hora de nos desiludirmos do Segredo (MAIS??) e vermos que o importante é uma visão realista do tempo. Aproveite a sua vida do seu modo: pode ser que a minha felicidade plena não seja pular de bungee jump ou tomar um porre de champagne.

Quando você começa a levar a sério essa de "viva cada dia como se fosse o último" ou "a juventude é um tempo que não volta" corre o risco de ficar constantemente frustrado. (Caso a sua felicidade seja comer caviar, e é o que você faria antes de morrer, por acaso você tem dinheiro para fazer isso todo dia?).

"Amigos, não consultem os relógios", disse o amor da minha vida (Mário Quintana). Do contrário, poderíamos perder a doce recompensa de coisas simples como plantar para depois colher. Porque é exatamente o fato de que podemos esperar do futuro, que podemos ter fé no feedback do que fazemos hoje e de que podemos parar e olhar o tempo como se tivéssemos a eternidade ali, do nosso lado, que faz a beleza desta vida.

"Se a vida é tão curta como dizes, por que me estás lendo até agora?" MQ

Agora dois agradecimentos especiais a duas pessoas que perderam um pouco do suposto "último dia de vida" para prestigiar este humilde Banquinho, que nem é de madeira de lei: a dona Barbarella, que me presenteou com o primeiro selo do blog; e meu primeiro seguidor, o "homem da cultura" Sanger.

11 comentários:

V.H. de A. Barbosa disse...

Hedonismo é mesmo uma grande palhaçada inventada por hard rockers.

Brincadeira.

Não leve a sério esses avisos. A vida é algo sério demais para se perder tempo com existencialismos e se chegar à conclusão de que não há motivo para vivermos. Há não ser que você pense o contrário, então vai acabar aceitando que sua morte tem um propósito, e aí perderíamos dias e dias em discussões filosóficas inúteis.

Se for para privilegiar um pensador, vai logo de Aristóteles e segue o "meio-termo": seja um pouco certinha e invista no futuro e, ao mesmo, siga as lições de Ferris Bueller.

Beijão, abraços.

Marcus "OROCHI" disse...

Essa sensação do tempo passando é meio cruel mesmo. Mas acho que se deve aproveitar as oportunidades da vida quando se pode, extraindo de melhor o que se encontra nas pequenas coisas da vida. Pode parecer um papinho piegas, mas às vezes uma simples reunião com os amigos pra jogar videogame ou tomar uma cerveja pode trazer mais felicidade do que ficar buscando ela em cantos exóticos, quando se sabe aproveitar bem cada momento. ^^'

Bjs e boa noite!

Fael disse...

Você tem toda a razão!

Esse negócio de viver o presente como se não houvesse futuro é coisa, na minha opinião, de gente que não quer crescer ou que não acredita que podemos crescer. Pois se fizermos algo no presente que não tenha um objetivo no futuro, estaremos sempre fazendo algo que não nos levará para além deste momento que vivemos.

Sendo assim, como crescer? Afinal, agiremos sempre pressupondo que não podemos vivenciar outro momento e, portanto, pressupondo que não há mudança. E se acreditarmos que não há mudança, por maior razão acreditaremos que não há possibilidade de crescimento.

Marcio Sarge disse...

Viva enquanto é tempo, ao menos eu acredito nisso.

Acho falta de coerência acreditar que aproveitar a vida não é depositar nela nossos sonhos futuros. Há de se ter o equilíbrio, não quero viver só para o amanhã, não quero imortalidade, quero saborear o máximo da minha juventude e da alegria e da benção por estar vivo é possível conjugar isso com responsabilidade sem desafinar pro um lado ou outro.

A vida pode terminar antes mesmo de morrermos.

Beijo anjo.

Antônia Burke disse...

Concordo com você, Laila.
Acho que a alegria da vida é sonhar, é projetar o futuro, imaginar como estaremos amanhã ou daqui a dez anos...e dar o nosso melhor pra estar o mais parecido possível com o que desejamos.
Um pouquinho de hedonismo de vez em quando não faz mal a ninguém. Porém, se tudo é só prazer,até o prazer perde a graça.

--> Super parabéns pelo conto aqui embaixo!

Beijos!

Laila disse...

"Vive como mortal: vive como se fosses imortal."
Sócrates

Felipe_Morgoth disse...

Nada! Parabéns pelo blog!

Dalleck disse...

Adoro ler textos que contrapõem esses padrões de vida tipo "carpe diem". É fácil incitar o óbvio, dizer para aproveitar a vida como se fosse o último dia; mas ninguém contesta que se fizéssemos isso literalmente, esqueceríamos totalmente do futuro. Mas se antes ler livros de auto-ajuda era coisa de depressivo, agora é moda e estilo de vida.

Anna Paula disse...

Acho que dizem que é pra gente viver intensamente o momento presente só pra invertarem a expressão "Carpe Dien"... linda, não?

Eu vivi o meus momentos naturalmente sem me preocupar se eu irei ter essa oportunidade ou não amanhã....

bj bj

Marcelo disse...

Acho que temos duas opções ver a vida com olhos de sonhador ou ver vida com ela é. Ver o tempo com ele é. Um monstro inexorável que devora os prazos de nossa existência. Há muito tempo (muito mesmo) optei ver a vida com ela é... e encarar o tempo em toda dimensão de sua presença.
Há um poeta latino que diz:


Tempus edax rerum..

Ou algo como, tempo, o devorador de todas as coisa...
Palavras que não foram comidas pelo tempo... ainda.
Abraços

Marcelo

V disse...

Esse negócio de 'aproveite a vida' é algo irritante. Sempre desgostei disso, e parece livre, mas é falsamente livre, e aparenta desapego, mas é falsamente desapegado. Talvez seja uma forma de querer colocar a vara no meio, ela que estaria muito para a esquerda, e, para fazê-lo, tem-se que entortá-la para a direita, até ela ficar enfim no meio. Ou seja: pra quem se preocupa demais (vara para a esquerda) usa-se dizer o 'aproveite a vida a cada minuto' (vara para a esquerda) com o intuito de chegar ao meio: não se preocupe demais, mas não deixe de pensar no futuro e, quando for necessário, renunciar.
Será?
Será?
Será?